XILOTECA ETEL

MADEIRAS NATIVAS, MÓVEIS DO MUNDO

A madeira é soberana. Tem o período de descanso, prensa, encaixe, acabamento. Transforma-se o tempo inteiro e exige adaptação constante de quem trabalha com ela. Um eterno conquistar e reconquistar. As peças podem levar meses até ficarem prontas. Nunca saem iguais, porque vêm de madeiras diferentes. com almas distintas. Banco, cadeira, mesa, divã, vaso, sofá. Será só isso? Seria se não fosse ETEL.

Ímbuia

Ímbuia

Ímbuia
Angelim

Angelim

Angelim
Freijó

Freijó

Freijó
Breu

Breu

Breu
Cedro

Cedro

Cedro
Cumarú

Cumarú

Cumarú
Ipê

Ipê

Ipê
Louro Preto

Louro Preto

Louro Preto
Pau Ferro

Pau Ferro

Pau Ferro
Pau Roxo

Pau Roxo

Pau Roxo
Sucupira

Sucupira

Sucupira
Timbaúba

Timbaúba

Timbaúba
Ímbuia

Ímbuia

Ímbuia

Nome científico:

Ocotea Porosa, Lauraceae

Como é conhecida:

Imbuia. É conhecida também pelo nomes de Canela-imbuia, Imbuia-amarela, Imbuia-brazina, Imbuia-clara, Imbuia-parda, Imbuia rajada, Imbuiapreta, Umbuia. Ocotea catharinensis (canela-preta) e Cinnamomum vesiculosum, duas espécies próprias da região Sul, apresentam características similares.

Descrição:

Árvore que normalmente atinge de 15 a 40 m de altura e de 50 a 150 cm de diâmetro, o tronco é grosso e tortuoso, formando uma copa ampla. Possui casca espessa, cinzento-escura, superficialmente fissurada e com excrescências globosas.

Características:

Cerne muito variável, indo do pardo-claro-amarelado ao pardo-escuro-avermelhado, normalmente com a presença de veios mais escuros, paralelos ou ondulados. Grã direita a reversa; superfície irregularmente lustrosa e lisa, odor característico e agradável; sabor amargo e adstringente.

Angelim

Angelim

Angelim

Nome científico:

Hymenolobium spp., Leguminosae.

Como é conhecida:

Angelim, Angelim-Pedra, Angelim-Rosa, Angelim-Grande, Angelim-do-Pará, Muirarema.

Descrição:

Características:

Madeira dura, de cor castanha avermelhada clara, grã irregular, aspecto fibroso, textura grosseira, com cheiro e gosto indistintos.

Freijó

Freijó

Freijó

Nome científico:

Cordia goeldiana, Boraginaceae

Como é conhecida:

Freijó, Frei-Jorge. Confunde-se com a madeira de Cordia frichotoma, de ocorrência em matas litorâneas entre Bahia e Santo Catarina, que é conhecida como Louro-pardo, Louro-amarelo e Louro-da-serra, Freijó-branco, Freijó-preta, Freijó-rajado, Freijó-verdadeiro, Cordia-preta.

Descrição:

Características:

Madeira moderamente pesada, de cor castanha muito palida,textura media e grã direita, com gosto e cheiro indistintosMadeira moderamente pesada,

Breu

Breu

Breu

Nome científico:

Protium spp., Burseraceae

Como é conhecida:

Breu. Entre outros nomes, é chamado de Breu-branco-verdadeiro, Almécega, A mescla, Almácega-brava, Almácega-chei-rosa, Breu-branco-docampo, Árvore-do-incenso. P. puncticulatum, chamada de Breu-vermelho, possui madeira um pouco mais leve e mais clara.

Descrição:

São encontradas árvores com até 10 m de altura e diâmetros de 50 a 60 cm. A casca é lisa, de espessura média e cor vermelha escura.

Características:

Difícil diferenciação entre o cerne e alburno, de cor bege-claro e marrom-vermelho-claro; a superfície é lisa, de textura média a fina e grã direita. Sem cheiro ou gosto perceptíveis.

Cedro

Cedro

Cedro

Nome científico:

Cedrela odorata, Meliacea

Como é conhecida:

Cedro, Cedro Vermelho, Red Ceder, Cedar, Cedre Acajou, Ceder, Cedro Rosa, Cedro Cobrado, Cedro Blanco, Cedro Amargo, Cedro Macho.

Descrição:

Características:

Madeira leve, cerne variando do bege-rosado-escuro ou castanhoclaro-rosado, mais ou menos intenso, até o castanho avermelhado, textura grossa; grã direta ou ligeiramente ondulada, superfície lustrosa e com reflexo dourados; cheiro característico, agradável, bem pronunciado em algumas amostras, quase ausente em outras; gosto ligeiramente amargo.

Cumarú

Cumarú

Cumarú

Nome científico:

Dipteryx spp., Leguminosae.

Como é conhecida:

Cumaru-cetim, Cumaru-de-folha-grande, Cumbaru-roxo, Cumbaru.

Descrição:

Árvore grande, frequentemente com mais de 50 m de altura, por 120 cm de diâmetro. Tronco cilíndrico, com fuste de até 18-24 m de comprimento.

Características:

Coloração marrom-claro ou marrom-amarelado. O alburno é distinto, marrom-amarelado. Superfície pouco a medianamente lustrosa, de aparência cerosa, odor parecido com o da baunilha. Gosto distinto.

Ipê

Ipê

Ipê

Nome científico:

Tabebuia spp., Bignoniaceae

Como é conhecida:

O gênero Tabebula tem cerca de 60 espécies ocorrendo em toda a América Tropical, desde o México até a Argentina. De forma geral, as espécies com madeira densa e escura são denominadas, indistintamente, de lpê, Pau-d’arco e Ipeúna, às vezes acrescentando-se a cor da floração (Ipê-roxo, Ipê-amarelo). Uma denominação comum a vários países sul-americanos é Lapacho.

Descrição:

Árvore com normalmente 8 a 10 m de altura quando isolada; na floresta pode atingir até 30 m de altura e 100 cm de diâmetro. Casca espessa e rígida, de cor pardo-escura, sulcada longitudinalmente e fissurada transversalmente.

Características:

Cerne pardo-acastanhado ou pardo-claro, geralmente uniforme, sendo comum apresentar reflexos esverdeados. Superfície pouco lustrosa, medianamente lisa ao tato; textura de fina a média, uniforme; grã direita a reversa, cheiro e gosto imperceptíveis.

Louro Preto

Louro Preto

Louro Preto

Nome científico:

Ocotea neesiana, Lauraceae.

Como é conhecida:

Louro-Preto. No Brasil as madeiras de Lauráceas são conhecidas como Louro do estado do Amazonas até o estado da Bahia e daí até o sul são chamadas de Canelas.

Descrição:

Árvore perenifolia, de 25 a 30 m de altura e 0,60 a 1,00 m de diâmetro. Tronco um tanto curvo, levemente guinado ou achatado, esgalhamento largo, tortuoso e grosso.

Características:

Cerne castanho a pardo levemente amarelado, textura média; grã direita a irregular; superfície lustrosa e lisa ao tato; cheiro e gosto imperceptíveis.

Pau Ferro

Pau Ferro

Pau Ferro

Nome científico:

Machaerium scleroxylon Tul. Fabaceae.

Como é conhecida:

Pau-Ferro, Cabiúna, Cabiúna-Vermelha, Caviúna, Caviúna-Rajada, Jacarandá-Caviúna, Jacarandá-da-Caatinga.

Descrição:

Características:

Madeira moderadamente pesada, de cor vermelha clara, textura fina e grã direita, com gosto indistinto e cheiro agradável.

Pau Roxo

Pau Roxo

Pau Roxo

Nome científico:

Peltogyne spp., Leguminosae.

Como é conhecida:

Roxinho, Violeta, Pau-roxo, Coataquiçaua, Guarabu, Pau-roxoda-Várzea, Amarante.

Descrição:

Características:

Madeira pesada, de cor roxa, com gosto e cheiro indistintos. Na P. confertiflora, a textura é média e a grã direita, enquanto que na P. lecointei, a textura é fina e a grã irregular.

Sucupira

Sucupira

Sucupira

Nome científico:

Bowdichia spp., Leguminosae ou Diplotropis spp., Leguminosae

Como é conhecida:

Sucupira-parda, Sapupira, Sucupira-do-igapó, Cutiúba e Sapupira-da-mata.

Descrição:

Na mata, árvores antigas podem atingir até 45 m de altura e 120 cm de diâmetro, sendo que no capoeirão são de menor porte. Sua casca mostra-se cinzenta, quase lisa, com pequenas fissuras verticais.

Características:

Cerne de tonalidade chocolate (recém-cortada) ao marromescuro (após secagem), com alburno estreito e acinzentado. Textura entre média e grossa, sendo comum grã irregular e ondulada. Superfície irregularmente lustrosa, de aspecto fibroso e entrelaçado, ligeiramente áspera ao trato. Madeira com cheiro e gosto imperceptível.

Timbaúba

Timbaúba

Timbaúba

Nome científico:

Enterolobium spp., Leguminosae.

Como é conhecida:

Timbaúba (PA), Tamboril, Fava-orelha-de-negro, Faveira-derosca (PA), Faveira-dura (PA/AM), Orelha-de-gato (PA), Orelha-de-negro, Timbó-da-mata (PA).

Descrição:

Características:

Cerne marrom-pálido a marrom-amarelado-claro, distinto do alburno amarelo-pálido. Anéis de crescimento distintos, grã revessa ou ondulada, textura média a grossa, brilho moderado e cheiro imperceptível.