wood couture
28/11/2014

Pronta entrega: Camilla Matarazzo


"Ambientes acolhedores, agradáveis e convidativos". Esta máxima guia o trabalho da designer de interiores Camilla Matarazzo há quase 20 anos.

Descobriu sua paixão pela decoração durante suas viagens. Passava horas observando os detalhes, as minúcias de cada lugar visitado. O resultado não poderia ser outro: um trabalho impecável, consagrado em grandes projetos. 

 
Em um bate-papo com o Wood Couture, Camilla nos conta o que faz seus olhos brilharem no mundo da arquitetura e decoração.  

Nome: Camilla Matarazzo

Atividade profissional: designer de interiores

Moro em... São Paulo
 
Quando era criança queria ser...  não me lembro... 

Uma lembrança: o jardim de casa com minha casinha de bonecas. Eu vivia trocando os móveis de lugar!

Não viveria sem... meus filhos e meu trabalho. 

Na minha casa não podem faltar... flores.

 
Arquitetura/decoração é... transformar sonhos em realidade. Pra mim, é criar um espaço convidativo, que além de bonito  seja funcional e agradável de estar.

Madeira preferida: gosto de todas elas. Misturar as tonalidades é um exercício delicioso.

Peça de design que mais admira: da Coleção ETEL,  adoro a Poltrona Dinamarquesa, do Jorge Zalszupin. 
 

Boa música:  qualquer uma, desde que em boa companhia. 

Viagem inesquecível: o Egito. A descida do Rio Nilo de barco, parando em cidadezinhas com construções maravilhosas. Quero voltar outras vezes...

Leitura inspiradora: gosto de biografias, histórias e romances que descrevem outras épocas. São os meus livros preferidos.


Projeto dos sonhos: adoraria fazer um hotel, inteirinho. 
 
É essencial para um projeto... entender o que o cliente quer. Nem sempre ele sabe explicar.  Aí você tem que ir percebendo.

Meu próximo desafio... será um casarão antigo, restaurado. Será um desafio e tanto, mas estamos confiantes de que o resultado será surpreendente. 


Um projeto especial... foi o de uma grande empresa nacional. Desde o primeiro momento que eu entrei lá, tive a certeza que só os móveis da ETEL dariam ao projeto o aspecto que eu imaginava. A arquitetura do lugar possui muito vidro, a escada em aço. A solicitação foi um ambiente acolhedor, por isso revesti todas as paredes em madeira carvalho, e os móveis deram a elegância e a leveza necessárias ao lounge. 

twitter facebook e-mail Pin it
21/11/2014

Design de mobiliário no Museu

 A arte o design de mobiliário uniram-se no Museu da Pampulha. A São Romão, representante da Coleção ETEL em Belo Horizonte, levou à construção de Oscar Niemeyer uma belíssima seleção de móveis, que marcam a história do design nacional.

A impressionante arquitetura de Oscar Niemeyer serviu como pano de fundo para que peças icônicas ganhassem vida neste espaço tão incrível.

Mesa Pétalas e Poltrona 801, de Jorge Zalszupin, apareceram no auditório do Museu. 
 
Cadeira de Balanço Rio e Poltrona Alta, do próprio Oscar, foram posicionadas abaixo das colunas de concreto e rampas do prédio. 

 Poltrona Adriana em frente aos espelhos da construção. 

Cadeira Astânia, de Etel Carmona, e cadeira Palhinha, de Branco&Preto. 
twitter facebook e-mail Pin it
21/11/2014

As belezas da Pampulha

"Uma necessidade urbana". Foi assim que o então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubistchek, definiu a criação da Pampulha na década de 1940. Para o desenvolvimento urbano e social da capital mineira, era essencial a existência de um complexo arquitetônico, capaz de unir arte, lazer, cultura e esporte. 

 
O resultado nasceu das mãos do grande arquiteto Oscar Niemeyer. A orla da lagoa da Pampulha - onstruída artificialmente - foi estudada para abrigar um cassino, um salão de danças, uma igreja e um hotel. 

   
Para Niemeyer, o projeto da Pampulha foi um embrião para a construção de Brasília. O arquiteto sempre enfatizou que na capital mineira foi plantada a semente da nova capital federal. Naquele projeto, o futuro presidente desenvolvimentista encontrara seu arquiteto. E o arquiteto encontrara um estilo para sempre.

 
Dos curvilíneos prédios planejados, apenas dois deles foram levantados: a Igreja de São Francisco (considerada a obra-prima do projeto) e o Cassino. "Fiz este projeto em uma noite, não tive alternativa. Quando funcionava como cassino, cumpria bem suas finalidades, com seus mármores, suas colunas de aço inoxidável, e a burguesia a se exibir, elegante, pelas suas rampas", contava Oscar Niemeyer.
 

A casa de jogos foi inaugurada em 1944, no entanto, seus tempos de glória duraram pouco. Em 1946, os jogos de azar foram proibidos pelo presidente Gaspar Dutra e, assim, o cassino foi desativado. Uma década depois, o espaço se transformou no Museu de Arte da Pampulha.

    
Suas enormes janelas de vidro lhe renderam o apelido de Palácio de Cristal. Os pilotis que sustentam a arquitetura, as rampas e o mármore são as marcas do seu criador. A vista, cuidadosamente estudada, mira a lagoa. Hoje, o Museu possui 1.600 obras em seu acervo, entre eles, peças de Di Cavalcanti, Iberê Camargo, Tomie Ohtake e Alfredo Volpi. 

twitter facebook e-mail Pin it
14/11/2014

Paulo Werneck na Pampulha


A chegada da mostra "Paulo Werneck - muralista brasileiro" à Belo Horizonte tem um significado bastante especial. A cidade foi brindada com vários painéis belíssimos feitos em pastilhas de cerâmica pelo próprio artista, como o da Igreja São Francisco de Assis e o da Casa de Juscelino Kubitschek, datados da década de 1940.  


A edição mineira da exposição ? que já passou pelo Rio de Janeiro, São Paulo e Recife - será a mostra mais completa já realizada sobre o trabalho de Paulo Werneck. Por meio de uma seleção primorosa das principais obras do artista, a mostra cria um panorama da evolução da arquitetura moderna brasileira, marcada pelos murais do próprio Paulo.   


Além do famoso painel da Igreja da Pampulha, Werneck ainda foi responsável por ornamentar o Estádio do Maracanã, do Ministério da Fazenda (Rio de Janeiro), do Senado e do Palácio do Itamaraty (Brasília), e da agência do Banco do Brasil no Recife Antigo (Recife). Ainda há outros 300 murais espalhados pelos quatro cantos do país, em residências, prédios públicos e comerciais.  


Os visitantes poderão conferir um total de 150 projetos para painéis em guache sobre papel, documentos, reproduções fotográficas e ilustrações do artista para livros infanto-juvenis como "A Lenda da Carnaubeira" e "Negrinho do Pastoreio". O documentário Paulo Werneck ? arte e raiz, dirigido por Paula Saldanha e o vídeo P.W. Pincéis e painéis, de Vivian Ostrovsky, completam a imersão no universo do artista. 


Exposição Paulo Werneck ? muralista brasileiro
Museu de Arte da Pampulha ? Belo Horizonte 
De 16 de novembro a 1 de março de 2015

twitter facebook e-mail Pin it
11/11/2014

Jorge Zalszupin e Oscar Niemeyer, por ETEL

A partir de novembro, três belíssimas peças, criadas por talentosos designers brasileiros, passam a integrar a Coleção ETEL. 

Linha ON
 

A vontade de criar seu próprio mobiliário nasceu de uma pequena frustração do arquiteto. Para ele, muitas vezes, o arranjo do mobiliário prejudicava completamente a arquitetura modernista e contemporânea, de certa forma, desqualificando-a.  


Foi exatamente neste contexto que Niemeyer criou a linha ON, que passou a ser reeditada pela ETEL recentemente. Nos anos 1980, o arquiteto debruçava sobre suas pranchetas e criava o Hotel Sesc. Para os espaços internos, Niemeyer criou a Escrivaninha ON e o sofá ON.     


Poltrona Annette

O pufe e a poltrona Annette foram criados pelo designer polonês Jorge Zalszupin na década de 1960. Mais de cinco décadas após os primeiros rabiscos, a família recuperou as peças e as apresentou à Etel Carmona.

 
Sob os cuidados da marcenaria, o mobiliário passou por um cuidadoso processo de restauração e reedição. A poltrona e o pufe - que até então não tinham nome oficial, foram batizados de ?Annette?, em homenagem à esposa do designer, companheira há meio século. 



twitter facebook e-mail Pin it
11/11/2014

Coleção Arte Aplicada, por Etel Carmona e Roberto Mícoli


Dos pinceis de Roberto Mícoli, nasceram telas coloridas, cheias de vida. Das mãos de Etel Carmona, nasceram as estruturas responsáveis por acomodar as obras e transforma-las em mobiliário.  
A partir da interação entre o artista plástico Roberto Mícoli e designer Etel Carmona foi criada a coleção de "arte aplicada" da ETEL. Dessa vez, as telas dos artistas foram transformadas em biombos e aparadores sofisticados e belos.  

As peças marcam o encontro do mobiliário nacional com obras de arte, celebrando a valorização de dois mundos diferentes que, no entanto, são separados apenas por uma linha tênue.  As peças foram inspiradas nos conceitos de "arte aplicada" do modernismo brasileiro, que teve Jonh Grass e Flavio de Carvalho, como fortes expressões do movimento. 

"Lançar mais uma coleção ao lado de Roberto Mícoli é um grande prazer. As obras do artista ganham um novo aspecto, passam a ser mobiliário; enquanto o móvel ganha o status de obra de arte", analisa Lissa Carmona, diretora da ETEL. As peças criadas pela designer e pelo artista serão apresentadas ao público durante a feira MADE. 

O evento, organizado pelo curador Waldick Jatobá, promete reunir no Jockey Club de São Paulo o que há de mais autêntico no design nacional, entre os dias 5 e 9 de novembro. 

twitter facebook e-mail Pin it
07/11/2014

ETEL leva DesignArt para a MADE


Um mar de cores inunda a segunda edição da feira de design MADE, a partir de hoje, no Jockey Club de São Paulo. Durante o evento, a ETEL reforça o conceito de Galeria e leva ao público uma seleção de peças únicas e edições limitadas.  

 
Da parceria entre Etel Carmona e Roberto Mícoli nasceu uma das grandes estrelas dessa mostra. Os aparadores e os biombos carregam cores fortes e resgatam os conceitos de ?arte-aplicada? do modernismo brasileiro, que teve Jonh Grass e Flávio de Carvalho, como fortes expressões do movimento. 
 

Outra grande atração dessa coletiva é o trabalho dos irmão Marcelo Alvarenga e Susana Bastos, da ALVA Design. A dupla criou uma série de espelhos únicos, executados em madeiras de demolição, como Braúna, Pinho de Riga e Peroba do Campo. As peças recebem aparas em resistentes e sofisticados fios de crina de cavalo. Um acabamento especial confere aos espelhos cores únicas: cobre, laranja, verde e cristal.   
 

A Coleção ETEL ainda ganhará mais uma peça do mestre Jorge Zalszupin. A poltrona, que ficou por anos guardada, foi apresentada à Etel Carmona. Recuperada, a peça foi rebatizada de Annette, em homenagem à companheira do designer. 
 

A feira ainda conta com peças de Marcelo Cipis, Etel Carmona, Oswaldo Bratke, Gregori Warchavchik, Oscar Niemeyer, Paulo Werneck e Sergio Rodrigues.

 
 "Ao evidenciar três vertentes do tempo - passado, presente e futuro, a ETEL demonstra seu papel na valorização da história do design nacional", explica Lissa Carmona. 

twitter facebook e-mail Pin it
04/11/2014

"Pavilhão da Piscina" na Casa Cor Rio

Se o estilo de Dado Castello Branco tivesse de ser definido em uma única palavra, ela seria "elegância". Um perfeito exemplo disso é o "Pavilhão da Piscina", criado para a Casa Cor Rio 2014. 

 
Em seus 105 m², o ambiente valoriza a vista, a luz natural e a convivência. Todo o espaço foi pensado para relaxar acompanhado de uma boa trilha sonora ou conversa. Como pano de fundo, o profissional usou as cores, azul e branca. Nas paredes, revestimento em tons neutros e para o piso uma peça única de madeira de demolição. 

  
A ideia é de uma casa de frente para o mar com uma sala de jogos e uma adega integrada ao living. Um espaço de lazer descontraído para receber a família e amigos com vista para a vegetação. O morador dessa casa é um amante da natureza, praticante de esportes ao ar livre e que ama o mar e o Surfe, dono de um lifestyle leve e despojado. 
 

A mesa Ping-pong, criada por Etel Carmona e Dado Castello Branco, é a grande atração do espaço. A rede, o baldinho e os cases das raquetes são feitas em couro, enquanto a mesa tem detalhes em latão polido. 

Além disso, o ambiente conta com duas as poltronas Presidencial e as poltronas Senior, de Jorge Zalszupin, e a mesa de Jogos, do próprio Dado Castello Branco. 
Sem dúvida, esse espaço vale a visita! 

twitter facebook e-mail Pin it

SOBRE O BLOG

Sempre às sextas-feiras um novo post te espera. Entre cortes, entalhos, raspagens e prensa, traremos pra cá o maravilhoso universo da alta costura do mobiliário. Aqui você encontra conversas de bastidores com nossos artistas, histórias das peças e tendências. Estamos aqui para alinhavar os pontos do universo da madeira e do design e fazer novos arremates.


JUNHO 2016 (5)
MAIO 2016 (3)
ABRIL 2016 (1)
NOVEMBRO 2015 (1)
SETEMBRO 2015 (3)
AGOSTO 2015 (1)
JULHO 2015 (1)
JUNHO 2015 (4)
MAIO 2015 (2)
NOVEMBRO 2014 (8)
OUTUBRO 2014 (5)
SETEMBRO 2014 (4)
AGOSTO 2014 (4)
JUNHO 2014 (3)
MAIO 2014 (7)
ABRIL 2014 (2)
MARÇO 2014 (4)
FEVEREIRO 2014 (5)
JANEIRO 2014 (1)
DEZEMBRO 2013 (5)
NOVEMBRO 2013 (5)
OUTUBRO 2013 (4)
SETEMBRO 2013 (5)
AGOSTO 2013 (4)
JULHO 2013 (4)
JUNHO 2013 (4)
MAIO 2013 (6)
ABRIL 2013 (3)
MARÇO 2013 (5)
FEVEREIRO 2013 (3)
JANEIRO 2013 (3)
DEZEMBRO 2012 (2)

 

RSS Feed